ISSN 2178-499X

Editorial

Paola Salinas e Síglia Leão

O Cien Digital 23 está no ar!

Neste número, os diferentes trabalhos do Cien Brasil e do Campo Freudiano transitam num tempo lógico.

Logo no início, Daniel Roy e Marie-Hèléne Brousse orientam, em seus textos, o trabalho das Redes da Infância do Campo Freudiano para os próximos dois anos. A partir desta publicação, o CIEN poderá debruçar-se sobre eles, trabalhá-los em português, para extrair dali sua especificidade no fazer dos laboratórios e pensar o tema da Diferença Sexual, desenvolvê-lo, questioná-lo a partir da experiência inter-disciplinar e dos impasses dele advindos.

Hífen

Quatro perspectivas sobre a diferença sexual

Intervenção na 5ªJournnée d´étude de l´Institute psychanalytique de l´Enfant
Daniel Roy

A cada dois anos, o Comitê de iniciativa do Instituto da Criança submete a Jacques-Alain Miller propostas de tema para a próxima Jornada. Em 2021, apenas uma proposta – “A diferença sexual” – foi unânime. J.-A. Miller aprovou e confiou a Marie-Hélène Brousse e a mim, a apresentação. Se o texto de orientação que esperávamos, como de costume, vai nos fazer falta, de minha parte vejo nisso um convite feito a cada um de nós, bem como aos grupos e redes do Campo freudiano…

O buraco negro da diferença sexual

Intervenção na 5ªJournnée d´étude de l´Institute psychanalytique de l´Enfant
Marie-Hélène Brousse

Daniel Roy realizou com afinco o ordenamento dos avanços sucessivos, desde Freud até Lacan, sobre este tema “A diferença sexual”. Construiu o quadro tal como ele se desdobra hoje na Orientação lacaniana implementada por Jacques-Alain Miller com a ajuda de uma bússola, o gozo, conceito delicado. Ele o fez introduzindo em sua abordagem as mudanças importantes que tiveram lugar no discurso do mestre e seu avesso, o discurso analítico…

GOZAÇÕES

Claire Brissom

“O que é o assédio escolar na adolescência?” Tal é o título escolhido para uma conversação pública com os professores do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, iniciada em 2018 por um laboratório do CIEN, o Centro Interdisciplinar sobre a Criança. Nós visamos a noção de “assédio escolar”, que se tornou há alguns anos o principal instrumento para interpretar a violência da interação entre jovens. Surgido em torno dos anos 2010, este significante ganhou uma adesão incrível até a consagração, em 13 de fevereiro de 2019, de um “direito à escolaridade sem assédio escolar”…

ENTRE-VISTA

ENTRE-VISTA COM DAMASIA AMADEO DE FREDA

Cien Digital, novembro de 2018, por CIEN-Minas

CIEN-Minas: O CIEN, em sua especificidade, consiste em apreender, via conversação, o ponto de real ao qual se está confrontado nas diversas disciplinas diante do esforço de normatização. Você salienta em vários textos que os jovens, atualmente, apresentam um “não sabe por quê” que não é proveniente de uma verdade oculta no sintoma. Esse “não sabe por quê” parece se referir a uma desorientação pela ausência de coordenadas identificatórias sólidas. Qual é o desafio que os adolescentes colocam para a prática do CIEN atualmente?

LABOR(a)tórios

Da maconha ao “campão”: as palavras como invenção

Bárbara Snizek Ferraz de Campos
Renata Silva de Paula Soares

O Laboratório Ciranda de Conversa foi solicitado para realizar conversações com a turma de 5° ano de uma Escola Municipal de Curitiba. Em um primeiro momento, as professoras da turma foram escutadas, trazendo inúmeras queixas, que variavam de dificuldades de aprendizagens à negligência, drogadição nas famílias e violência sofrida pelos alunos no ambiente social e familiar. O relato retratava a experiência da infância dentro de uma favela organizada, grande parte…

Héteros: o que faz furo?

Franciele Gisi M. de Almeida
Anna Luiza de Almeida Silva
Vânia Brito Gomes

O Laboratório Digaí-Escola trabalhou em seus encontros os limites e possíveis efeitos de uma Conversação em três tempos ocorrida no Ensino Médio Técnico de uma Escola Federal situada na região metropolitana do Rio de Janeiro. Estas conversações se deram a partir de um problema ocorrido em uma turma com a criação de um grupo de whatsapp autodenominado “héteros”. Um aluno participante desse grupo resolve contar aos colegas sobre as imagens…

A judicialização das famílias: tentativa de normatização

Laboratório Novas famílias e suas judicializações
Cristina Nogueira, Letícia Greco, Marcela Silva Andrade, Marília Oliveira, Mônica Campos Silva (Responsável), Pâmela Freitas, Thaís Campomizzi.

Verificamos que o desafio essencial ao direito de família na atualidade é a tentativa de normatizar e regular a família a partir da judicialização da parentalidade. Esta seria a intervenção do judiciário nos casos em que a filiação e as funções parentais não são exercidas e/ou não são, a princípio, reconhecidas, levando a uma demanda de regulação que pode ser realizada sem a concordância de algum dos envolvidos…

Contribuições

O infamiliar e o êxtimo nas conversações inter-disciplinares do CIEN

Ana Martha Wilson Maia

Para escrever “livros desconhecidos” por ela mesma, diferentes dos que havia escrito até então, Marguerite Duras conta que permaneceu dez anos em casa, numa solidão feita por ela e para ela. Foi assim que escreveu Le ravissement de Lol V. Stein, um de seus mais belos romances cinematográficos, Le Vice-cônsul e muitos outros. E entre tantas coisas, Duras nos ensina poeticamente sobre estar só, “dentro” da casa…

O Cien Digital e o impossível da transmissão O Cien Digital transmite?

Margarete Parreira Miranda
Laboratório “Trocando em Miúdos” Compõe o comitê editorial do Cien Digital

O Cien Digital – instrumento escrito do CIEN –contribui para a orientação prática dos profissionais que participam, cada um com sua quota, do trabalho interdisciplinar nas instituições por onde crianças e adolescentes circulam. É uma revista ligada ao Campo Freudiano cujos marcadores encontram-se estabelecidos no Ato de Fundação, por Lacan em 1971 e outros escritos…

Ponto de Vista

A aposta na conversação no CIEN Minas

Aline Aguiar Mendes

O que falar quer dizer nas conversações realizadas no CIEN Minas? Se a oferta da palavra é tomada nos dias de hoje como um instrumento em prol de uma eficácia e de uma previsibilidade do sujeito, o CIEN, ao promover as conversações inter-disciplinares, rompe com a resposta padrão ou da normatização, fazendo surgir a diferença e a singularidade.

Essa aposta decidida nas conversações e em seus efeitos, em nosso momento atual, será abordada em três conversações realizadas pelo CIEN Minas. Apresentaremos o CIEN in loco, que tem o objetivo de levar a conversação ao encontro com a cidade e, também, duas outras conversações que ocorreram na sede do Instituto de Saúde Mental e Psicanálise e sobre a medicalização nas escolas, em que contamos com professores, coordenadores e familiares e, outra, sobre o insuportável no adolescente, em que tivemos a presença de vários profissionais do campo da saúde e do direito – trabalhadores ligados ao CREAS e a instituições voltadas ao cumprimento de medidas socioeducativas e de proteção ao adolescente, um juiz da vara de infância e juventude e estudantes.

Cine Cien

Zain: uma figura da indignação

Maria Rita Guimarães

O Cine Cien abriu as atividades do Cien–MG, do primeiro semestre de 2019, com o filme Capharnaum, de Nadini Labaki, ganhador do Prêmio de Júri no Festival de Cannes de 2018. Sua narrativa contempla a pesquisa e o debate trazidos pela temática orientada pelo último Enapol em seu título: Ódio, cólera e indignação. A atualidade do filme não é apenas cronológica. Interessaram-nos, de forma especial, os problemas ali testemunhados. Estes correm no fio da navalha de um realismo documental e são aqueles que têm presença permanente no universo das experiências do Cien.

O encontro entre o Cinema e o CIEN na cidade do Rio de Janeiro.

Giselle Fleury e Jorge Carvalho

A partir da experiência de trabalho na comissão Cine-CIEN no Rio de Janeiro, trazemos neste texto algumas reflexões que orientaram a proposta de trabalho da comissão no biênio 2016-2018. Há muitos desafios nesse processo, que vão além dos aspectos de produção e escolha dos filmes exibidos. Uma primeira observação é a de que a escolha dos temas e dos filmes, bem como a escolha dos convidados para a conversação devem estar orientadas pelos princípios que norteiam o CIEN. Como princípios recortamos a interdisciplinaridade no trabalho com crianças e adolescentes e a ênfase na conversação.

História do Cien Brasil

O Contexto:

Rio de Janeiro, 2011. Uma experiencia de um laboratório do CIEN contextualiza a época e testemunha efeitos de uma conversação inter-disciplinar realizada em uma escola pública, a partir da demanda de um ator e professor de teatro.

O texto:

“Aceleração”  – ou corpos que agitam

Ana Martha Wilson Maia e Duda Ribeiro
Laboratório “A criança entre a mulher e a mãe”

“Estou com um trabalho em um colégio e preciso de você. Está sendo muito difícil trabalhar com estes adolescentes. Eles não respeitam limites”.

O convite do ator, diretor e professor de teatro foi imediatamente aceito, afinal a psicanalista e o ator já haviam trabalhado juntos num Projeto, e esta nova oportunidade se transformou em uma das mais ricas experiências decorrentes da proposta inter-disciplinar do CIEN. Este texto apresenta alguns momentos das conversações realizadas com o objetivo de transmissão de efeitos deste dispositivo.